////// Science for a better life

Plantas de Pesquisa e Desenvolvimento (P﹠D) na América Latina

Investimos em P﹠D para continuar moldando a Agricultura e atender às crescentes necessidades dos agricultores, dos consumidores e do planeta

O compromisso da Bayer de alimentar o mundo sem esgotar o planeta é demonstrado pelo seu investimento anual de 2 bilhões de euros em Pesquisa e Desenvolvimento (P﹠D) na divisão agrícola, resultando em produtos que beneficiam produtores, consumidores e o planeta.

Desenvolvemos soluções sob medida para os desafios enfrentados pelos agricultores através de programas de melhoramento, introdução e teste de novas variedades e híbridos derivados de biotecnologia, estudo de campo de produtos de proteção de cultivos e práticas agrícolas, bem como o uso da ciência de dados. 

No entanto, para garantir os melhores resultados na utilização das soluções agrícolas que temos, é necessário levar em consideração as características de cada zona produtiva (pragas, clima, necessidades particulares). Por isso, muitas unidades da Bayer na América Latina se dedicam a P﹠D, onde novos dados oriundos de estudos variados são gerados para cada região e para o mundo. Confira a seguir algumas das unidades da Bayer Crop Science dedicadas a P﹠D.

Argentina

Na Argentina, a Bayer Crop Science possui sete unidades dedicadas à produção de produtos químicos, produtos biológicos, pesquisa e processamento de sementes.

A Estação Experimental Zarate I concentra a produção de duas linhas de suspensões concentradas não herbicidas, uma linha de suspensões de concentrados herbicidas e uma linha de concentrados emulsificáveis. Sua produção é comercializada tanto na Argentina quanto exportada para países como Brasil, Paraguai, Bolívia e Uruguai.

A Estação Experimental Zarate II é a mais importante estação de produção de herbicidas do país, preparando e embalando os seus produtos de acordo com os mais elevados padrões de qualidade. Sua produção é comercializada tanto na Argentina como em países vizinhos, Europa e Ásia.

A Estação Experimental Las Heras é especializada na produção e pesquisa de produtos biológicos. Possui oito linhas de produção e embalagem onde são gerados seus principais produtos inoculantes de substratos líquido e sólido.

A Estação Experimental María Eugenia, localizada na cidade de Rojas, Província de Buenos Aires, é reconhecida mundialmente por sua capacidade operacional, sendo um modelo de usina de beneficiamento de sementes de milho com capacidade de produção de até 3,6 milhões de sacas por safra. A produção a campo de híbridos de milho que abastecem essa estação se estende por todo o país.

A Estação Experimental de Fontezuela é o local de P﹠D de produtos e soluções que a Bayer oferece aos agricultores. Nela são desenhados e selecionados novos híbridos de variedades de milho e soja, por meio de melhoramento genético (breeding). Além disso, são realizadas avaliações de eficácia e segurança tanto para novos produtos biotecnológicos quanto para defensivos agrícolas, bem como são realizados os testes regulatórios necessários para sua aprovação comercial. Ela conta ainda com uma equipe que oferece suporte técnico e soluções agronômicas aos clientes, tanto na Estação quanto em um Centro de Treinamento localizado nas proximidades. 

As Estações Experimentais Rio IV e Tucumán apoiam principalmente a equipe de melhoramento (breeding) nas atividades de melhoramento de híbridos de milho e variedades de soja, atuando nas regiões centro e norte do país, respectivamente.

Brasil

A Bayer possui várias unidades dedicadas à produção e pesquisa no Brasil. O laboratório de biotecnologia de Genômica de Precisão, Precision Genomics (PG), é um exemplo em Petrolina/PE que apoia os programas de melhoramento genético (breeding). A unidade tem alta capacidade de amostragem de sementes devido à utilização de equipamentos desenvolvidos internamente, chamados chippers, que permitem colher amostras para caracterização de genoma sem causar danos ao embrião. Esse processo garante que as melhores sementes sejam plantadas a cada ano.

A Estação Experimental de Luís Eduardo Magalhães/BA realiza testes regulatórios para homologação de novas tecnologias, além de colaborar com atividades de melhoramento (breeding).

A Estação de Pesquisa de Morrinhos/GO realiza estudos voltados ao desenvolvimento de biotecnologia para lavouras de soja, milho, sorgo e algodão. A unidade é responsável pelo lançamento de variedades de soja. 

Na Estação de Uberlândia/MG, são desenvolvidos híbridos de milho e variedades de soja, além da condução de ensaios regulatórios para desenvolvimento de produtos de proteção de cultivos e desenvolvimento de introgressão de traits.

Em Carandaí/MG é feito o desenvolvimento de novas culturas com melhoria na característica de proteção contra doenças que costumam atingir as plantações de cenoura, tomate, couve-flor, pimenta, milho doce e abobrinha, entre outras hortaliças.

Na planta de produção de sementes de Cachoeira Dourada/MG, produz-se sementes de milho e sorgo, além de haver atendimento às demandas das áreas de soja e algodão e desenvolvimento de estudos regulatórios para aprovação de novos eventos de biotecnologia e produtos de proteção de cultivos. Ela possui os certificados Terra Corporativa para Aprendizagem e Vida Selvagem no Trabalho, como resultado de projetos de formação de reservas florestais, repovoamento de espécies nativas, limpeza e conservação do Rio Paranaíba.

No Centro de investigação de Campo Novo do Parecis/MT são realizadas avaliações dos programas de melhoramento (breeding). O centro realiza a avaliação de 15 mil parcelas de soja e 25 mil parcelas de milho por ano, distribuídas em 17 localidades. São mais de 370 mil dados para uso nas avaliações. 

Na Estação Experimental de Sorriso/MT são desenvolvidos híbridos de milho e variedades de soja, além da condução de ensaios regulatórios para aprovação de produtos derivados de biotecnologia e desenvolvimento de produtos de proteção de cultivos. 

Na fábrica de Cambé/PR, a Bayer pesquisa, desenvolve e produz produtos biológicos para o cultivo da soja, com o objetivo de ajudar os produtores rurais a aumentar sua produtividade. A planta é referência na produção de inoculantes. 

O Centro de Pesquisa e Inovação de Paulínia/SP realiza estudos nas principais culturas agrícolas, como soja, milho, cana-de-açúcar, algodão, frutas cítricas e trigo, durante todo o ano. O Centro atua no desenvolvimento agronômico para proteção de cultivos, segurança de produtos, sementes e tecnologias, tratamento de sementes e saúde ambiental.

O site de Santa Cruz das Palmeiras/SP é crucial na área de P﹠D para a divisão Crop Science, pois suporta o desenvolvimento de novos produtos de biotecnologia para as culturas de milho, soja e algodão, bem como o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias para o portifólio de proteção de cultivos da Bayer. 

Nas Estações Experimentais de Não-Me-Toque/RS, Coxilha/RS e Rolândia/RS são desenvolvidos híbridos de milho e variedades de soja para a região sul do país, sendo um dos melhores ambientes para a seleção de precocidade, proteção contra doenças e introdução de germoplasma temperado. Além disso, ensaios regulatórios também são conduzidos nesses locais para registro de produtos derivados de biotecnologia e desenvolvimento de produtos de proteção de cultivos. 

Chile

No Chile, a Bayer também possui unidades de produção como as das cidades de Paine e Melipilla. Ambas as plantas contam com tecnologia de ponta, como aplicação fitossanitária através do uso de drones, irrigação técnica e plano de previsibilidade de safra baseado em imagens e sensores. Na localidade de Vluco, a fábrica de processamento e distribuição de sementes processa mais de 500 variedades em 19 espécies de sementes de hortaliças.

Além disso, as fábricas de Santa Julia, Santa Elena e Temuco estão pesquisando e desenvolvendo variedades de sementes de milho, soja e canola. Em Temuco, também são desenvolvidas soluções para o uso de defensivos agrícolas no campo.

Colômbia

Em Candelaria, Valle del Cauca, o Centro Experimental La Tupía atua na área de proteção de cultivos, pesquisa agronômica de insumos agrícolas (controle de pragas e biológicos), bem como no desenvolvimento de boas práticas agrícolas e ambientais em culturas prioritárias para o país. O Centro também é um local de intercâmbio de conhecimentos com universidades colombianas.

Costa Rica

A Estação Experimental da América Central (ECA), na Costa Rica, é um centro de pesquisa com foco em banana e abacaxi. Localizada em Guácimo, Limón, ali se desenvolvem soluções químicas e biológicas há mais de 30 anos, onde se validam em escala global os novos princípios ativos que se converterão em insumos agrícolas inovadores para o desenvolvimento agronômico da banana, do abacaxi e de outras culturas. Além disso, trabalha-se com pesquisas sobre doenças e pragas nos cultivos de melão e arroz. 

Equador

A fazenda Latitud Cero, na região sul do Equador, na província de Guayas, desenvolve atividades de P&D com enfoque local e global. A fazenda está localizada na região central da bananeira equatoriana, o que lhe confere grande importância para a avaliação dos produtos desta cultura, bem como a oportunidade de trabalhar em outras como abacaxi, milho, arroz e algumas hortaliças. Devido às características de alta pressão de doenças, como a estria negra da bananeira, torna-se um centro de desenvolvimento e demonstração para apresentar o comportamento de soluções fungicidas para controlar esse problema.

México

No México, a planta Tlaxcala fabrica produtos biológicos para o México e o mundo. As fábricas de Villagrán (Guanajuato), Nextipac (Jalisco) e Los Mochis (Sinaloa) condicionam e preparam sementes de milho para o México, América Central e região andina.

O Centro de Inovação Tecnológica de Querétaro realiza testes de eficiência e sustentabilidade de soluções químicas e biológicas para a proteção de culturas.

Na fábrica de Tlajomulco (Jalisco), nossos especialistas desenvolvem alguns dos mais importantes projetos globais de melhoramento de milho. 

No local de Produção de Vegetais de Chiapas, produzem-se sementes de mais de 100 variedades de vegetais, principalmente pimentões e pepinos.

Porto Rico

As instalações da fábrica de Juana Díaz fazem parte da equipe de melhoramento (breeding) da Bayer, que atua na produção de sementes parentais.

Confira o vídeo onde Bob Reiter, Líder Global de P﹠D da divisão Crop Science da Bayer, apresenta as principais plataformas de P﹠D e destaca alguns projetos no portifólio de Crop Science, mostrando como a Bayer está usando P﹠D para atender a alguns dos problemas mais urgentes na agricultura e está trabalhando para transformar o seu futuro.

Bibliografia

Rolar para o topo