////// Science for a better life

Apresentamos os vencedores do Grants4Ag 2021 na América Latina

O programa de bolsas Grants4Ag, uma iniciativa da Bayer em parceria com a Halo, já anunciou os vencedores de 2021. De mais de 350 propostas recebidas, foram selecionados 21 pesquisadores que receberão prêmios entre 5.000 a 15.000 euros. Essas doações ajudarão os cientistas a concluir suas pesquisas sobre os desafios enfrentados pela agricultura. 

“A Bayer possui uma das maiores organizações de pesquisa e desenvolvimento agrícola, mas está muito claro que, dada a complexidade dos desafios enfrentados pelos agricultores em todo o mundo, não podemos resolver todos os problemas sozinhos”, disse Phil Taylor, líder global de inovação aberta para a divisão agrícola da Bayer. “Ficamos muito satisfeitos com a qualidade das submissões deste ano e esperamos trabalhar com cada um dos beneficiados pelo programa.”

Como parte da iniciativa Open4Ag da Bayer, os ganhadores do Grants4Ag retêm todos os direitos de propriedade intelectual de suas pesquisas. Além do apoio financeiro, os pesquisadores entram em contato com cientistas da Bayer para orientação dos projetos à medida que suas pesquisas progridem.

A lista de bolsistas, suas biografias e resumos das pesquisas submetidas estão disponíveis no site do programa Grants4Ag. Os vencedores são de 9 países, mas aqui queremos apresentar os da América Latina.

Marcelo Berretta

Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria (INTA), na Argentina

Novas proteínas contra o bicudo algodoeiro

“O bicudo algodoeiro, Anthonomus grandis, é uma das pragas mais prejudiciais do algodão nas Américas”, diz o Doutor Marcelo Berretta. “Nosso projeto visa gerar novas proteínas Bt Cry tóxicas para A. grandis, usando uma estratégia de evolução direcionada. Os genes que codificam essas toxinas podem ser usados para obter algodão geneticamente modificado (GM) protegido contra essa praga. Para conseguir isso, os genes Cry nativos serão modificados com sequências selecionadas com base em sua capacidade de se ligar ao intestino médio da larva do inseto. A hipótese é que proteínas com maior capacidade de ligação serão mais efetivas contra a praga.”

A agricultura moderna exige práticas sustentáveis que garantam a produtividade e preservem a saúde de produtores e consumidores. No que diz respeito aos insetos-praga, há uma necessidade real de desenvolver novas ferramentas para sistemas de manejo de culturas.

Alexandre ten Caten

Universidade Federal de Santa Catarina, no Brasil

Desbloqueando o potencial de sensoriamento proximal de solo

“Os solos em todo o mundo estão ameaçados por uma demanda crescente por alimentos, fibras e combustível. De fato, milhões de hectares ao redor do mundo já estão degradados”, comenta o Doutor Alexandre ten Caten. “Paradoxalmente, toda vez que uma amostra de solo é testada, são produzidos resíduos químicos nocivos. Nos últimos anos, as técnicas de sensoriamento proximal de solo, que usam luz ao invés de produtos químicos, estão ganhando espaço como oportunidades rápidas, econômicas e ecológicas para avaliar o teor de carbono orgânico e argila do solo.”

Técnicas de Sensoriamento proximal de solo (PSS, Proximal Soil Sensing) utilizam sensores próximos ou em contato com o solo, e são mais uma ferramenta no arsenal da agricultura de precisão. A coleta de dados do solo usando essas tecnologias produz informações adequadas para abordagens estatísticas de Machine Learning (ML). Nos últimos anos, pesquisadores de todo o mundo propuseram novos protocolos PSS para manipulação de dados, pré-processamento e modelagem. No entanto, as implementações reais de ML ainda precisam ser estabelecidas. O objetivo do Professor ten Caten é investigar a implementação de um sistema de aprendizado automático que permita prever as características de um solo a partir dos dados obtidos por meio de PSS.

Andrea Clavijo

AGROSAVIA, na Colômbia

Uso de endófitos para combater à doença da murcha em tomateiro

Endófitos, micróbios que vivem dentro das plantas, podem ser a chave para o manejo sustentável de doenças em culturas. A Doutora Andrea Clavijo, da AGROSAVIA, está investigando esses micróbios em tomateiro como uma ferramenta potencial para combater a doença da murcha. “Algumas evidências sugerem que os endófitos podem desempenhar um papel na resistência natural de uma planta a doenças. Vamos isolar e caracterizar endófitos de tomateiro silvestre que apresentam alta resistência ao Fusarium oxysporum como uma abordagem para identificar potenciais agentes de biocontrole que possam ser usados como uma estratégia de manejo sustentável para culturas de tomate.”

Cristian Malavert

Universidade de Buenos Aires, na Argentina

Modelos preditivos para um manejo sustentável de plantas daninhas

Plantas daninhas causam uma perda considerável na produtividade das culturas em todo o mundo. O Doutor Cristian Malavert trabalha com modelos preditivos sobre o surgimento de plantas daninhas no campo. “Para isso, usamos modelos populacionais para prever o aparecimento de plantas daninhas com base em sinais ambientais como temperatura, disponibilidade de água, luz e temperaturas alternadas em condições de campo. A previsão de padrões temporais de emergência em diferentes cenários climáticos é relevante para entender como as populações de plantas daninhas responderão às mudanças climáticas futuras”, explica ele. “Este apoio Grants4Ag nos permitirá contribuir para a segurança alimentar e aumentar o potencial de produtividade das culturas de uma forma mais sustentável.”

Rolar para o topo